6 de set de 2013

Dois cafés, por favor

Das ruas largas fugimos lépidos.  Com medo, com culpa,  com desespero,  com. Derramou-se o leite, fechou-se a porta, findou-se o óbvio. Cartas para reparar os desvios. Café para brindar tanta poesia desfeita.

Nenhum comentário:

Postar um comentário