4 de jan de 2014

Nota para Caderno Terapêutico #11

"Nada a fazer com este lindo vazio a não ser poli-lo."

[Sylvia Plath]


Nada, Sylvia. Não há o que fazer com este oco aqui no peito. Não sei verbalizar o que se passa no fundo do oceano. Na verdade tenho medo de dar forma a esta coisa estranha que habita cada espaço da casa. Troco a mobília, as plantas, a dor de lugar. É como esperar por Godot. Em vão. O leitor já deve estar com os ouvidos cheios de tanta lamúria. Mas o poeta é isso, um constante ensaio para a morte [ainda que metafórica]. Sinto muito.

Nenhum comentário:

Postar um comentário