7 de jan de 2010

Cenas Urbanas


Poucos minutos anteviam-se naquele encontro que seria tácito e intenso e incomum e  em que o corpo  enrijecia-se de tal forma  e os cabelos cobriam-lhe  o rosto cheio de lágrimas  e aqueles arrepios que enchiam-lhe a alma  a ponto de sentir-se lívida e entregue e louca e os minutos cada vez mais lentos impedindo que o abraço se concretizasse naquele pôr-do-sol  planejado por ambos e o desespero denso dentro daquele mundo que se apertava mais e mais tamanha felicidade resguardada naquele carrossel de sonhos e finalmente ele de volta aos braços ainda receosos de uma iminente e dolorosa perda ela sem palavras e com ações cada vez mais confusas que não conseguiam expressar aquela demora cotidiana e ele com gestos inúteis tentando conter as lágrimas dela que agora se confundiam num beijo repleto de estrelas.


P.S: Diferentemente das outras cenas, essas são especiais leitor (rsrsr) 

Nenhum comentário:

Postar um comentário