16 de fev de 2010

O não-dito (mal)


a palavra abrupta

salta da garganta em brasa

e eu com meus dedos

de Alice

vou distribuindo versos

conforme os meus desejos



este para você

(que tem olhos librianos)

outro para você

(pelo beijo que me fez pecado)

mais um para você

(para que conjugues corretamente o meu verbo)

e este fi-nal-men-te, fa-tal-men-te especial

poema perdido no mais obscuro de mim



For you baby

(pelo delirante reino que me foi concedido)

Na verdade da noite

À procura dos meus eus.





Raquel Reis ou Clarice César de Abreu? (Até eu estou confusa!)


P.S: Será uma evolução ou uma transgressão?

Nenhum comentário:

Postar um comentário