27 de jun de 2010

Tenho me procurado tanto em tantos lugares, rostos, imagens, casas envelhcidas, ruas estreitas e nada. Apenas um vazio preenchendo meu desgosto de viver assim, tão só, em mundo de estrelas imcompatível com o resto do mundo. Tenho ficado tão a deriva de mim  mesma que não me perdoo por sempre me perder e nunca me achar. É um desgosto que vai sangrando o peito e me fragmentando impiedosamnte. Dificil não partilhar ausências. Dolorido explodir em silencio.

Um comentário:

  1. Tudo, menos afastada da literatura. Quanta poesia em suas cartas.

    Beijos

    ResponderExcluir