29 de mar de 2011

minimamente
me despeço
da tua habilidade
em  esculpir memórias.
fui teu retrato de sonhos
e me desfiz
-cinzas no teu peito aberto-
agora sou matéria envelhecida
um amor em desuso
 que  nunca morre.





7 comentários:

  1. um amor em desuso
    que nunca morre.

    ResponderExcluir
  2. Temos uma nova leitora por aqui...
    Seja bem-vinda e volte sempre!

    ResponderExcluir
  3. Vanessa tá show, adoro os minimalistas, e nesse me transportei por estradas de saudades!
    Bjsss da Libelula

    ResponderExcluir