26 de abr de 2011

Enfim, a casa não está mais vazia - há sombras preenchendo o quarto frio (centenas delas) - e um ressoar de ruídos estranhos (ou estrangeiros?) . O corpo está pleno, a alma saciada, a razão no controle. E eu peço calma ao dia que inicia.

Nenhum comentário:

Postar um comentário