4 de jul de 2011

E eu que não sabia o que era , quando acordei já não era mais. Esvaiu-se. Poema desfeito de abandono e lágrima.

Nenhum comentário:

Postar um comentário