21 de dez de 2013

sem título




a poesia que rege
os meses de outono
está limpa e sobreposta
no armário

e há [ainda] quem não entenda de vazios.

Nenhum comentário:

Postar um comentário