25 de dez de 2013

Nota para Caderno Terapêutico #8

Então é Natal. E eu nada fiz. Absolutamente nada. Coloquei em prática o "plano Bartleby". Viva o  subsolo! Dostoiévski se orgulharia. Eu, tão cordial e sincera, nada fiz neste longo ano de 2013. Nada que impressionasse a nação brasileira ou deixasse um largo sorriso de contentamento no rosto de minha família. Talvez eu seja uma poeta um tanto desequilibrada. Janelas para a minha inconstância! Anoto em meu diário: noite de Natal extremamente esquisita para os padrões convencionais [não, eu não tenho um diário] . Recebo uma mensagem de boas festas, mas é engano. A essa hora meus [raros] amigos devem estar abraçados a Dionísio. Não os condeno. Já dizia Vinicius, "o uísque [ou a cerveja, no meu caso] é o cachorro engarrafado", o melhor amigo do homem. Então que seja [mas minha cachaça continua sendo a poesia]. 

Devo ter despencado na lista de "melhores do ano". A cotação está em baixa. Não crer em Deus já me faz uma ovelha das mais negras. Creio na literatura, amém. Vou para o inferno, segundo alguns. Para outros, vagarei anos a fio pelos umbrais da terra. Que seja. O Natal  para mim nada representa [sim, já representou  muito em uma infância longínqua]. Mas não devo ser apedrejada por isso.

No quarto ao lado, minha mãe dorme profundamente [consciente de minhas ressalvas religiosas]. Difícil lhe explicar que o sentido da vida é não ter sentido. Mas não a condeno. Um dia contarei ao Papai Noel o que fiz de tão errado para não crer em suas boas intenções.



2 comentários:

  1. Meu natal foi atípico também. Ouvindo música. Conversando em longas missivas (virtuais) com uma amiga que não curte natal. Recebi uma ligação, mas foi engano. Hoje um amigo ligou mas foi para pedir dinheiro emprestado. Henry Chinaski não bebe mais. Só tomei guaraná. Não escrevi verso nenhum. Mas tive uma certa paz. Acho que natal é estar em paz. Feliz Natal!

    ResponderExcluir
  2. Inevitável, Leonardo... Difícil correr para algum lugar longe de toda essa alegria desenfreada de fim de ano. Mas em breve tudo isso passará e voltaremos ao niilismo costumeiro.


    Feliz Natal para você também!

    ResponderExcluir