27 de mar de 2011

desconexo
o verso
assim se esconde
do reverso
misterioso
da própria hora
morta
que invade
o peito
sem demora
e dificulta
achar a hora
certa
que é viva
mítica
e sem intervalos.
o tempo é agora. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário