22 de mar de 2011



                   há um exílio interior se multiplicando e se expandindo dolorosamente arrebentando com tudo que nunca foi sólido  concreto  seguro desmanchando cada verdade construída com dor  e lágrimas há um exílio interior rindo de tudo  navegando navegando sem direção alguma jogando todas as esperanças nos ombros errados  há um exílio interior machucando fundo desnecessário choque de realidade que surge todas as manhãs no vão das incertezas

navegando. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário