30 de abr de 2012

De repente, acordei rindo de tudo. Da minha cara amassada no espelho e do despropósito de vida que nascia em mim, não mais que uma tentativa de tortuoso recomeço. Em vão. Tudo machuca quando a lembrança espeta a  alma em desaviso, e eu, sempre destoando da canção.

Nenhum comentário:

Postar um comentário