13 de jan de 2014

Bilhete para Ana


Hoje tá tão cinza aqui no peito. Ao contrário de ontem, tudo azul. Acho que foi a  bebida ou Rimbaud se debruçando todo líquido. Dizem que as almas se reconhecem num deserto árido. Caio que o diga. Então fez-se um azul todo bonito. Âncora de olhos tristes. Ana, tá complicado viver aqui - um pé em dois mundos. Partiu-se o pão. Mas. Take this sinking boat and point it home, we've still got time.


Um beijo,


Raquel ["deusa" ex -machina]

Um comentário:

  1. Mais dias azuis virão! Tenho certeza! Ana se orgulha da tua escrita! E eu também! Lindo texto!
    Beijos, dear!

    ResponderExcluir