13 de jan de 2014

sem título



                                      Para Arthur

teus olhos tristes
dois metais difusos
e a parte que me cabe

silêncios de moldura fosca

pétala que se abre tímida
para a aurora nas tuas mãos.





2 comentários:

  1. Lindo teu poema! Hermético e ao mesmo tempo comunicativo. Tantas metáforas bonitas! Cada vez me apaixono mais pelo teu lirismo! Pela tua sensibilidade!
    Beijos dear!

    ResponderExcluir
  2. Leo, você é um querido!!!! Obrigada pela leitura! Arthur ficou imensamente feliz com o poema :-)

    ResponderExcluir